Início Policial Professor de música é denunciado por estuprar 4 alunas em escola de...

Professor de música é denunciado por estuprar 4 alunas em escola de Porto Murtinho

0

Professor de música, homem de 29 anos, foi denunciado por estuprar quatro alunas na cidade de Porto Murtinho, a 439 quilômetros de Campo Grande. As vítimas têm entre 12 e 15 anos. O professor aproveitava para agarrar as alunas aos finais das aulas, quando pedia ajuda para guardar instrumentos, e em outras ocasiões solicitava que elas fizessem aula de reforço.

Conforme a denúncia, um dos primeiros casos registrados, em que foi aberto inquérito policial, aconteceu nos anos de 2019 e 2020, em uma escola da cidade. O denunciado era professor de música e, aproveitando do cargo, após os outros alunos saírem, mandou a vítima ficar para ajudá-lo a guardar os instrumentos, ocasião em que a agarrou e a beijou a força.

A denúncia descreve que o crime foi praticado por aproximadamente dois anos, mas por medo e vergonha, a vítima de 13 anos não denunciou.

Também em 2019 fez outra vítima de 14 anos na escola. Ele convidou a menina para uma aula de reforço, sendo que, ao término da aula a trancou na sala. Em seguida, a empurrou, começou a beijá-la e passar a mão pelo corpo dela. A vítima só conseguiu sair da sala porque ameaçou gritar. Ela comunicou os pais sobre o ocorrido e a direção escolar, bem como abandonou as aulas de violão e mudou de escola.

No começo de 2021, ele estuprou uma menina de 12 anos. Na época, pediu para ajudá-lo a recolher os instrumentos no final da aula, oportunidade em que a puxou pela mão e lhe deu um beijo na boca. A jovem não teve forças para se soltar e após o crime, desistiu de participar das aulas de violão.

Relacionamento amoroso

Em outro caso, ocorrido em novembro de 2021, o professor manteve conjunção carnal e praticou outros atos com uma adolescente de 14 anos. Na época, ele começou a mandar mensagens para a vítima, até que iniciaram um relacionamento amoroso.

O denunciado e a vítima mantiveram relações sexuais por ao menos três vezes, sendo que a primeira foi em setembro de 2021 e a última no dia 1 de novembro do mesmo ano, ocasião em que a vítima fugiu de casa e dormiu na residência dele. Além disso, consta que o professor e a jovem se encontraram diversas outras vezes e ele cometeu o crime.

O processo do caso ainda está em andamento e o prazo para o Ministério Público apresentar as alegações finais foi no dia 18 de julho deste ano.

(Campo Grande News)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui