Início Policial Em Jardim, Polícia Civil prende suspeitos de furto, comércio ilegal e abate...

Em Jardim, Polícia Civil prende suspeitos de furto, comércio ilegal e abate de animais

0

A Polícia Civil, através da Primeira Delegacia de Polícia de Jardim, autuou dois homens, de 24 e 47 anos, pelos crimes de associação criminosa, posse ilegal de arma de fogo, maus tratos, crimes contra a relação de consumo, poluição de qualquer natureza – em níveis que resultem mortalidade de animais – e receptação animal. As investigações começaram em março deste ano quando foram furtados quatro carneiros de raça de uma propriedade rural próximo à cidade.

Os investigadores do Setor de Investigações Gerais constataram que várias ocorrências de furto de gado na região e vestígios tais como couro de animal, supostamente abatido clandestinamente, estavam sendo encontrados facilmente na estrada que dá acesso à chácara de um dos autuados.

Os animais eram abatidos com disparos de arma de fogo e transportados em veículos de carroceria. Algumas vezes eram transportados pedaços em bolsas e nos últimos abates eram levados inteiros para desossar na chácara de um dos envolvidos.

Na sexta-feira (3), uma equipe da IAGRO (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do MS) fazia deslocamento na região quando foi ultrapassada por uma camionete S-10, que levava na carroceria um animal abatido. A equipe acompanhou o veículo e, ao ser abordado, o condutor, de 24 anos, não soube explicar a origem do animal e respondeu que teria comprado na Aldeia Barro Preto, município de Porto Murtinho.

A Polícia Civil foi acionada e constatou que um dos envolvidos vinha sendo investigado pois estaria comercializando carne abaixo do valor praticado no comércio, em sua propriedade, localizada na periferia de Jardim. 

No local foram encontrados dois freezers contendo cerca de 70 kg de carnes diversas, a maioria etiquetadas por corte. No mesmo ambiente foram apreendidos dois apetrechos de pesca, bem como foram encontrados uma serra fita de bancada, uma balança comercial, um caderno contendo anotações sobre o preço de venda de carnes e peixes, ficando caracterizado o comércio de alimento impróprio para consumo.

Ainda durante as buscas em dos quartos do imóvel foi apreendida uma caixa de munição calibre .22, proveniente da Argentina, contendo 17 munições. Momentos antes da entrada da equipe policial na residência, um investigador de polícia visualizou uma pessoa descartando sacolas por cima do muro. Em busca no terreno baldio foram localizados, dentro das sacolas descartadas, um revolver da marca Rossi Cal. 22, com cinco munições, um espécime de peixe Dourado e dois espécimes Curimba.

Diante dos fatos, a autoridade policial deu voz de prisão em flagrante ao suspeito pela prática dos Crimes Contra Relação de Consumo e Posse Irregular de arma de fogo de uso permitido.

Com a suspeita de que na propriedade rural funcionava um abate clandestino de animais para venda, bem como o local abrigava animais furtados de outras propriedades, a equipe policial com apoio da IAGRO deslocou-se até a propriedade onde foi constatado a situação do delito de maus tratos a animais domésticos, visto que dois cachorros foram encontrados amarrados, doentes, sem água, sem alimento e machucados. Ainda foram encontrados outros animais, como suínos e bovinos, abrigados juntos às carcaças de bovinos ilegalmente carneados no local.

No rio da propriedade foi encontrado couro de bovino recém-carneado ao lado do abatedouro ilegal. “Em anexo a residência da propriedade existe uma estação de desossa e também foram encontrados no interior da casa três freezers e diversos apetrechos de desossa. Em continuidade as buscas no imóvel foram encontrados diversos ossos, couros de animais e descartes de equipamentos utilizados no abate”, detalhou a corporação.

Os policiais localizaram e apreenderam, ainda, uma espingarda de pressão modificada para efetuar disparos de Cal. 22, no forro da residência. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui