Início Policial Polícia prende 4 pessoas da mesma família e coloca fim há quase...

Polícia prende 4 pessoas da mesma família e coloca fim há quase 20 anos de abusos sexuais em MS

0

A Polícia Civil deflagrou operação nesta quinta-feira (19) para colocar fim há quase 20 anos de abusos sexuais dentro da mesma família, em Três Lagoas, na região leste do estado. Até o momento, 4 pessoas foram presas pela prática de diversos estupros de vulneráveis praticados contra crianças. 

“Nós usamos imagens do drone e é possível perceber a sistemática familiar, já que todos os parentes moravam próximos, juntos. O convívio familiar era muito próximo e os autores são tios, primos, irmãos e há alguns casos de incesto também. É algo pesado, bem pesado”, afirmou ao G1 a delegada Nelly Gomes dos Santos, coordenadora da operação.

Segundo a delegada, os crimes estavam sendo investigados há cerca de 3 meses, sendo que, no mês anterior, houve a prisão do primeiro suspeito, sendo que a ação não foi divulgada para preservar as investigações. 

De nome Sodoma e Gomorra, a operação é da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Três e conta com apoio do Serviço de Investigações Gerais (SIG) e a 2ª Delegacia de Polícia, tendo o envolvimento de 24 investigadores e 5 delegados. 

Dos 5 presos, são quatro homens e uma mulher, sendo dois deles irmãos e o terceiro é filho de um deles e o quarto é sobrinho. A mulher é a matriarca da família, uma senhora de 77 anos, que tinha conhecimento de tudo que acontecia e se omitiu, ainda conforme a polícia.

Até o momento, a polícia ressaltou que pouco mais de 10 vítimas foram identificadas, entre primas, irmãs e sobrinhas dos autores. “Com a prisão nós acreditamos que mais vítimas sejam identificadas, pois, terão coragem de denunciar”, ressaltou Gomes. 

Nos autos do inquérito, conta que a primeira vítima sofreu o primeiro abuso quando tinha apenas 8 anos de idade, há mais de 17 anos. São crianças e adolescentes com idades entre 5 a 13 anos, que conviviam em um mesmo núcleo familiar e, apesar de pedirem ajuda e tentarem denunciar, foram negligenciadas e obrigadas a se calar por anos. 

Ainda conforme a polícia, uma delas, quando tentou contar o que acontecia, foi espancada com uma corrente, por um dos autores, com a conivência da avó. 

Agora a polícia ressalta que a investigação continua para a identificação de possíveis novas vítimas e a punição dos envolvidos. Nesta manhã (19), às 9h30, está marcada uma coletiva na Delegacia Regional de Três Lagoas.

(G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui