Início Saúde Secretaria de Estado de Saúde orienta municípios sobre variante indiana da Covid-19

Secretaria de Estado de Saúde orienta municípios sobre variante indiana da Covid-19

0

A Secretaria de Estado de Saúde, através do CIEVS/MS (Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde), enviou aos municípios de Mato Grosso do Sul comunicação em relação ao monitoramento da variante Indiana da Covid-19, após confirmação de casos no País.  

A SES reforça a necessidade da continuidade das ações de distanciamento social na prevenção ao Coronavírus.

Mato Grosso do Sul recebeu orientações do Ministério da Saúde em relação ao monitoramento da variante Indiana. Assim, a secretaria encaminhou aos municípios comunicado em relação à nova cepa. O Estado mantém o sequenciamento genômico  das variantes da Covid-19.

Mato Grosso do Sul tem realizado o teste de antígeno nos municípios de fronteira para agilizar a detecção de pessoas com a doença e dar maior agilidade nas ações de prevenção e controle.

O Governo Federal divulgou comunicado  sobre a confirmação no Brasil da variante B.1.617.2, mutação do vírus da Covid-19 na Índia, e também na investigação de pacientes suspeitos de estarem com a nova variante.

A nova variante foi confirmada no Maranhão na amostra da tripulação do navio “MV SHANDONG DA ZHI, ancorado na área de fundeio, em alto mar, na costa de São Luís. No total, 15 tripulantes testaram positivo para Covid-19 e nove tiveram o diagnóstico negativo. Das seis amostras com maior carga viral para sequenciamento genômico, todas apresentaram resultado positivo para B.1.617.2.

A Índia possui a segunda maior prevalência de casos confirmados de Covid-19 do mundo e uma incidência de casos nos últimos 14 dias de 410.89 por 100 mil habitantes. 

Na análise do nível de alerta em saúde aos viajantes, que se baseia na incidência de casos nos últimos 14 dias, a Índia está classificada como nível 4, muito alto (mais de 100 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes), em que se deve evitar qualquer viagem para este destino, conforme recomendação da Centers for Disease Control and Prevention (CDC).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui